18/07/2019 às 07h35min - Atualizada em 18/07/2019 às 07h35min

A 1,6 mil metros de altitude, Campos do Jordão é a cidade mais alta do país

G1 VALE
G1 VALE
Campos do Jordão (SP) é o principal destino turístico do inverno na Serra da Mantiqueira. A cidade também é refúgio, o ano todo, para quem quer curtir temperaturas amenas. O clima tem relação com a geografia, já que o município está a mais de 1,6 mil metros acima do nível do mar, sendo a cidade mais alta do país.

No inverno, a geada e temperaturas negativas são comuns. Em outras estações, o frio permanece. O meteorologista Giovani Dolif, do Centro de Monitoramento de Desastres Naturais (Cemaden), explica que por causa da altitude, a temperatura média na cidade é mais baixa que nas demais – cerca de 16 °C, quando nas maioria das demais cidades do Vale é superior a 20°C. A localização na serra, onde há concentração de mata, também intensifica o frio.

Dolif explica que a temperatura amena também é explicada pela baixa pressão – característica do distanciamento do nível do mar. “Quando a pressão é alta, as partículas da atmosfera se comprimem e então o ar fica mais quente. No caso de Campos do Jordão, o efeito é o contrário. Há espaço entre as partículas então a temperatura é amena”, disse.

Em um comparativo, Bariloche, que é 'queridinha' dos amantes do frio na Argentina, a cidade fica a 893 metros de altitude.

No Brasil, no ranking de mais altas e, consequentemente frias, figuram Monte Verde (MG) a 1.554 metros de altitude; Senador Amaral (MG) a 1.505 e Bom Repouso (MG), a 1.360.
 

Comportamentos
A geografia da cidade não movimenta apenas o turismo, mas molda comportamentos. Com as temperaturas mais baixas o ano todo e o intenso frio no inverno, lanchonetes e comércios em geral abrem mais tarde, por volta das 10h.

Na rede pública, as escolas começam as aulas pouco mais tarde, às 7h30, e o calendário escolar é programado para que as férias de meio de ano contemplem todo o mês de julho, geralmente mais frio.

Segundo a prefeitura, os serviços de manutenção que em outras cidades são feitos à noite para evitar intervenções no trânsito ou na rotina da cidade, não podem ser feitos por causa das baixas temperaturas.

Quem mora na cidade, apesar do costume, arruma formas de driblar o frio. O Wanderson Mota nasceu em Campos do Jordão e mora no bairro Vila Britânia. Ele conta passar ferro no lençol antes de dormir nas noites de frio intenso fazem parte da rotina desde a infância.

"A gente acostuma com o frio com o tempo, mas nas noites de temperatura muito baixa, negativa, usamos alguns recursos populares como garrafa de água quente, meia quente, passar o lençol e evitar comidas e bebidas frias para suportar", conta.

Outra moradora, Érika Cabral, disseque no inverno muda o horário do banho, da atividade física e nas noites de temperaturas negativas, a família dorme junto na mesma cama. "O inverno tem um frio diferente aqui e às vezes até nos que moramos assustamos. Em dias muito frios, meu marido e eu acendemos a lareira e dormimos os dois com meu filho na mesma cama para aquecer. Ele por ser pequeno não aguenta a temperatura tão baixa", conta.

Turismo
Para experimentar a altitude de Campos do Jordão, umas das opções é o Pico do Imbiri. O local é o pico mais alto da cidade, chegando a quase 2 mil metros de altitude e conta com uma vista privilegiada, um 360º da região, incluindo a Pedra do Baú. O local fica a um quilômetro de distância do Morro do Elefante e é aberto ao público.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual desses nomes deveria ser o próximo prefeito de Itajubá/MG

39.6%
18.1%
26.2%
4.1%
12.1%