08/06/2019 às 10h15min - Atualizada em 08/06/2019 às 10h15min

Justiça determina que governo suspenda contingenciamento de verbas da educação

ESTADO DE MINAS

A Justiça Federal da Bahia determinou na sexta-feira (7) que o governo federal interrompa o contingenciamento de verbas das universudade federais do país, determinado pelo Ministério da Educação (MEC). A decisão foi proferida pela juíza Renata Almeida de Moura Isaac, da 7ª Vara Federal Cível do estado nordestino.

Ela acatou os argumentos de ações populares e ações civis públicas contra a medida do governo Bolsonaro (PSL). Conforme o jornal O Estado de São Paulo, o MEC não se posicionou por ainda não ter sido notificado da decisão. Entretanto, o órgão pode recorrer da determinação. 

"O contingenciamento de verbas das instituições de ensino federais, sobretudo quando praticada em considerável percentual, não pode prescindir de prévio estudo técnico e minucioso, inclusive com a participação dos representantes destas instituições, para fins de se garantir que o bloqueio incidente sobre as verbas discricionárias não interferirá na continuidade das atividades acadêmicas. Pensar de forma diferente implicará no esvaziamento das diretrizes constitucionais na área de educação e das prerrogativas das Universidades Públicas. Em verdade, o corte na forma realizada pelo MEC, tido por linear e isonômico, lança os dirigentes das instituições de ensino federais a sua própria sorte, ficando à mercê da boa vontade do alto escalão ministerial”, escreveu a magistrada em sua decisão.

Em seguida, a juíza diz não haver dúvidas que se trata de "hipótese de abuso de direito", não poderia passar despercebida pela Justiça. "Em resumo, não se está aqui a defender a irresponsabilidade da gestão orçamentária, uma vez que é dever do administrador público dar cumprimento às metas fiscais estabelecidas em lei, mas apenas assegurando que os limites de empenho, especialmente em áreas sensíveis e fundamentais segundo a própria Constituição Federal, tenham por base critérios amparados em estudos que garantam a efetividade das normas constitucionais”, completa Renata Almeida. 

Multa

Por fim, a juíza determina "a suspensão dos bloqueios realizados pelo MEC sobre as verbas discricionárias do orçamento das universidades federais e do Instituto Federal do Acre". A determinação deve ser cumprida dentro de 24 horas e, caso isso não ocorra, a União será multada em R$ 100 mil diários. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual desses nomes deveria ser o próximo prefeito de Itajubá/MG

40.1%
18.3%
24.8%
4.3%
12.5%