30/01/2018 às 14h35min - Atualizada em 30/01/2018 às 14h35min

A singularidade de Itajubá

SeguirJuliano Alves Pinto Head of the Innovation Diplomacy Project at Brazil's Ministry of Fo

"Só tem em Itajubá". Eis a frase que mais ouvi na minha recente visita à cidade de Itajubá, no Sul de Minas, que representa um dos ecossistemas de inovação mais pujantes do País. Não é para menos, pois a assertiva remete diretamente ao conceito de singularidade, tão presente nos debates correntes sobre inovação.

O caso de Itajubá é mesmo singular, pois existe ali o funcionamento pleno do modelo de tripla hélice, em que Governo, Academia e Iniciativa Privada trabalham de forma coordenada em prol do ecossistema. Além disso, os elementos constitutivos de um ecossistema clássico de inovação podem ser facilmente percebidos quando se está em Itajubá. A interação entre a Prefeitura Municipal e a Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) é total, o que faz com que as empresas ali instaladas se sintam inteiramente à vontade para contribuir de forma voluntária para que novos negócios empreendedores surjam o tempo todo. Não surpreende o fato de que gigantes como a Honeywell e a Airbus tenham optado por Itajubá na instalação de algumas de suas mais importantes unidades industriais. Dado importante, também, é o fato de estar ali o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), componente científico importante num ecossistema, à semelhança dos laboratórios nacionais norte-americanos estrategicamente instalados no Vale do Silício, tais como o Lawrence Berkeley e o Ames Research Center da NASA.

 

Com uma população de 100 mil habitantes, Itajubá é a cidade brasileira com o maior potencial gerador de novas startups, segundo dados da Associação Brasileira de Startups, além de ser a cidade do sul de Minas que tem o melhor IDH. Qualidade de vida, governança e concentração de talento singularizam Itajubá como um dos melhores ecossistemas de inovação do Brasil.

Não posso deixar de mencionar que Itajubá esbanja mineiridade ao ser uma cidade extremamente hospitaleira. Tive a honra de ser recebido por numerosa delegação de stakeholders liderada pelo Prefeito Rodrigo Riera, entre os quais merece menção o Magnífico Reitor da UNIFEI, Professor Dagoberto Alves de Almeida, o Diretor do LNA, Bruno Vaz Castilho, o CEO da Honeywell Brasil, Carlos Conti, entre outros, líderes políticos, empresários e acadêmicos dessa belíssima cidade sul-mineira.

Não posso deixar de agradecer ao competentíssimo Secretário Municipal de Ciências, Tecnologia, Indústria e Comércio, Fernando Bissacot, por ter organizado minha visita a Itajubá, e ao meu amigo, Professor Policarpo Abreu, Superintendente do Centro de Inovação e Tecnologia da FIEMG em Belo Horizonte, ilustre cidadão itajubense, cuja indispensável presença prestigiou sobremaneira minha agenda naquela cidade.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual desses nomes deveria ser o próximo prefeito de Itajubá/MG

40.4%
18.3%
24.5%
4.4%
12.4%